Recuperando.Histórias

         Resgate e valorização da cultura capixaba

Memórias da Fazenda da Serra

Afonso Cláudio
Por ocasião das pesquisas que estávamos realizando, na busca de dados históricos sobre o município de Castelo, tivemos a oportunidade de ter acesso ao trabalho deixado por Isabel de Almeida Ramos Serrano, sob o título: “Memórias da Fazenda da Serra”, fruto em grande parte de artigos publicados em jornais e revistas das cidades do Rio de Janeiro, Vitória e Cachoeiro de Itapemirim. Incorporado a estes artigos, a cronista buscou com profundidade, lembranças de seu tempo de criança e jovem nas cercanias da Fazenda da Serra, assim como, traçou um perfil individual de seus familiares mais próximos e das fazendas que tiveram influência também de seus ascendentes e descendentes. Este material encontrava-se na residência de Pedro Juvenal Machado Ramos, em Guarapari, guardado com muito zelo e carinho pela sua filha Lúcia. Lúcia ao me transferir, em confiança, este fabuloso tesouro histórico, me fizera uma exigência: que o material (livro) a ser publicado fosse na íntegra de acordo com os escritos realizados por sua tia Isabel. Entretanto, foi impossível atendê-la na sua plenitude, havendo necessidade de algumas poucas inserções em alguns textos, correção de redação, inclusão de fotos e chamadas de rodapé, para esclarecimento que julgamos pertinentes, sem prejuízo de sua essência. Este material veio às minhas mãos em 2005, mas alguns imprevistos de saúde familiar (minha esposa), aliadas à enfermidade do Pedro Ramos (2006/2007) e prematuro desenlace do Marcos, esposo da Lúcia (2007), atrasaram esta publicação. Não há quem não veja nestas memórias, também a sua história, para aqueles que nasceram e viveram na “roça” ou fazendas.
Toda esta história é iniciada quando o português José da Rosa Machado, casado com a portuguesa Maria Rosa Florinda, chegaram ao Brasil, em 1849, onde inicialmente se estabeleceram em Valença-RJ. Ele, nascido em 08/01/1819, na Ilha Faial, Açores, e ela, em 08/03/1822, na Ilha Torceiro. Outros irmãos já se encontravam no Brasil: Ana, Antônio, Francisco, Manoel e Maria Francisca. Uns ficaram pela região de Vassouras (RJ) e outros vieram para o Espírito Santo, juntamente com os Vieira Machado. Quando da vinda para o Brasil, o casal veio acompanhado da filha Maria Rosa Machado, nascida em Portugal. Os outros filhos, nascidos no Brasil foram: José da Rosa Machado Júnior (Valença-RJ), Custódio, Francisco e Joaquim, na Fazenda Boa Vista, Castelo (ES).
O primeiro emprego do português José da Rosa Machado, no Espírito Santo, foi como administrador da Fazenda da Prata, em Castelo (ES), de propriedade de Joaquim Vieira Machado da Cunha, no ano de 1850.
Ainda naquela ocasião, adquiriu uma área de terras de Matheus Vieira Machado, por r$: 700$000 (setecentos mil réis), localizada nos limites da Fazenda Independência com a Fazenda do Destino, onde hoje é o povoado de São Vicente. Posteriormente, requereu ao Estado o domínio daquelas terras e incorporou outras, onde fundou a Fazenda Boa Vista. Ali, procedeu a derrubada das matas, plantou café, milho, mandioca e construiu a primeira residência com palmiteiras. O construtor foi o Sr. Antônio Gonçalves Serpa, casado com a sua irmã Ana Maria.
Os filhos passaram a estudar na Fazenda Independência, assim como, quando do seus casamentos, foi iniciada, em 1875, a divisão territorial da propriedade. A primeira filha, Maria casada com Joaquim José de Araújo, fundou a propriedade Bocaiúva-Sossego, José da Rosa Machado Júnior casado com Ana Ferreira dos Santos, Fazenda Vista Alegre; Custódio, casado com Cecília Ferreira dos Santos, Fazenda Bela Vista, Francisco casado com Eliza, Fazenda Boa Vista, assim como Joaquim, casado com Ana. José da Rocha Machado faleceu em 30/01/1886, e Maria Rosa, em 11/03/1898, respectivamente, nas Fazendas Boa Vista e Vista Alegre (propriedade do seu filho mais velho, José), tendo sido sepultados no cemitério da Fazenda Independência. Ao longo dos anos, a Fazenda Boa Vista deixou de existir, pois fora desmembrada à proporção que os filhos do casal pioneiro iam se casando. Hoje, o que resta ainda de posse dos familiares, é a Fazenda da Serra.
Neste trabalho os senhores (as) poderão reviver as histórias que demonstrou-se a sagacidade de um casal português, que nos longínquos 1849, deixou a sua terra natal, para migrar para uma terra de futuro incerto, mas que conseguiu prosperar, criar os filhos e deixar-lhes uma situação financeira que pudesse encaminhar as gerações futuras, para uma vida confortável, dando-se, inclusive, ao “luxo” de mobiliarem as suas residências e propriedades com materiais adquiridos na Corte (RJ). A família prosperou, chegando alguns (as) a ter destaque na sociedade capixaba. Entrem nesta rica história e bom proveito!

Galeria de Fotos Extras

  • Fazenda da Independência - Sem Data. (Acervo: João Gilberto Machado Moura)

  • Fazenda dos Alpes - Casa do Tio João - Década de 50. (Acervo: Familiares de Maria Celsa Zanúncio Gonçalves)

Imagem de



Enviar Comentário

Comentários:

admario rocha de azevedo: “Companheiros; Fiz uma errata desse grandioso livro da prima Bebé Serrano. Interessados me escrevam. Saudações”
admario rocha de azevedo: “ERRATA DO LIVRO DE BEBÉ, MEMÓRIAS DA FAZENDA DA SERRA admariodidi@gmail.com Pág. 7 Linha-24:TIRAR "TORCEIRO" e colocar: FAIAL Pág 7-linha -25- " "VASSOURAS" " VALENÇA Pág 8-linha-8 " "BOCAIUVA" " BOCAI”
Fernando Destefani: “O fogografia de nº 45 : Fazenda da Povoação, não é referene à sede da Grande Fazenda da Povoação, que era propriedade de Jose Vieira Machado (dde Freitas) e Lina Laudegaria Vieira de Sousa (Vieira Machado da Cunha). A foto apresentada na obra refere-se à”
Fernando Destefani: “Mais um grande trabalho que Jose Eugênio Vieira trás a público, para a recuperação da memória da região da Serra do Castello (na sua abrangencia histórica, que abrangia os atuais municípios de Castelo, Vargem Alta, Muniz Freire - parte, Conceição do Caste”
recuperando histórias © 2012
Enviar Comentário

Nome:    
Email:    
Comentário: